O fantasma de Thomas Malthus*


Assim caminha a humanidade: São muitos caminhos, tantas opções e emoções e tão poucas referências a serem seguidas… Ao longo dos últimos 400 anos, construímos um mundo tão relativo para vivermos que não temos muita certeza de como será o amanhã… Amanhã está muito longe. E ontem? Ontem foi há muito tempo atrás… Tudo muda muito rápido (Como diria Anthony Giddens: a única certeza que temos é a mudança).

 

Desde 1700 pra cá, por exemplo, muita coisa mudou. Nações enriqueceram, a ciência cresceu e passamos a manipular geneticamente os grãos. Nunca se produziu tanta riqueza no mundo e nunca, creio, houveram tantas pessoas vivendo na linha da miséria. Minha impressão é que, vez por outra, um fantasma do século XVI volta para ameaçar esse admirável mundo instável.

 

Thomas Malthus (1766-1834) foi economista e propôs a lei de que a população da terra cresce em proporção geométrica enquanto a produção de alimentos, em progressão aritmética. Bem, um aluno de 8º série sabe que isso quer dizer que enquanto a população cresce em termos de 2, 4, 8, 16, 32, 64…a produção de alimentos vai a passos de formiga: 2, 4, 6, 8, 10, 12… bem, pensando nesses termos parece que temos um problemão pela frente.

 

Pra começar, alguns mitos precisam ser esclarecidos. Segundo publicação da CIA**, agência de inteligência do governo americano, existem no mundo 6,677,563,921 de pessoas. Essa população cresce a uma taxa de 1.1% ao ano em média, o que não parece uma grande ameaça, concorda? Baseado nesses números é fácil concluir que Malthus definitivamente errou…a população não cresce ao ponto de se tornar ameaçadora. Tudo está sob controle, certo? Podemos exorcizar Malthus definitivamente? Será mesmo?

 

Se por um lado Malthus errou no seu julgamento do crescimento populacional, por outro lado ainda é cedo para pegarmos nos apetrechos de exorcismo e mandarmos o seu fantasma para longe. Isso por causa do crescimento da economia do mundo. Enquanto a população cresce a pouco mais de 1% ao ano, e economia mundial cresce a taxas superiores a 5%. Isso quer dizer que produzimos (e consumimos) cada vez mais. Começamos a sentir no bolso a alta do preço dos alimentos não porque a população cresça a níveis recordes, mas porque produzimos mais riquezas a cada dia. Produzindo mais riquezas, mais pessoas têm poder de compra, logo, mais recursos serão consumidos.

 

Com o crescimento chinês (+ de 10% ao ano) e de outros países, temos uma demanda gigantesca por alimentos. Não que isso seja errado, creio que os países desenvolvidos tem que se desenvolverem, para o bem de sua população. Mas minha pergunta é: independente do crescimento econômico ser bom ou mal, a produção mundial de alimentos consegue acompanhar esses índices?

 

Temos, de um lado, os países ricos, com um consumo já bastante elevado, e, correndo por fora, um exército de milhares de pessoas que se encontram na linha da miséria e começam a consumir. Com isso a economia cresce, os mercados se expandem e o mundo todo ganha divisas nessa nova divisão internacional do trabalho (segundo Manuel Castells). Nota 10 para nós, certo? Porém, os efeitos colaterais vêm bater em outro lugar: Precisamos de mais comida, não porque a população cresce em progressão geométrica. O crescimento do consumo pode ser potencialmente uma ameaça caso não ampliemos nossa capacidade produtiva.

 

Como será o dia de amanha? Bem, é difícil uma previsão. Pode ser que isso tudo não se consolide, pode ser que seja ainda pior. Por via das dúvidas eu prefiro consumir menos e guardar meus apetrechos de exorcismos poupando Malthus um pouco mais. O pior de tudo não é Malthus estar certo (porque de fato, não está), mas acabar acertando por outros meios.

 

* O assunto deste post foi uma sugestão de priscilla, aluna do primeiro semestre de Administração da Universidade de Cuiabá.

**Acessado dia 28 de abril de 2008, disponível em: https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/xx.html,

Explore posts in the same categories: Humanidades, Reflexão, Sociologia; Ciências Sociais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: